quarta-feira, 27 de março de 2013
















Alças-me do charco
Metamorfoseias-me
Num animal felino e esfaimado. 

Quero abocanhar o teu corpo
Saciar-me com a tua fome
Num prândio ígneo e suculento.

Ao ritmo da paixão
A cadência do teu desejo
Cobre-me,
Inflama estrelas,
Abre sendas,
E quebra barreiras.

Pela tua pele
Bebo prazeres perfumados
E em ti vogo para lá do Olimpo…

Mostra-me as tuas veredas
Nem que atrase a eternidade
Porque o amor
Está para lá da Terra,
Do Céu e do Inferno.

2 comentários:

  1. Este Amor que eu sinto está para além do tempo sem tempo. És a minha eternidade.

    ResponderEliminar
  2. Chegaste
    Água e Fogo
    E libertaste em mim
    A tua própria essência.

    És, agora, as minhas próprias asas
    Nenhum cárcere nos pode prender.

    Voas e o tempo perde o nome.
    E eu bebo…
    Apenas quando tens sede!

    ResponderEliminar