sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Teu Corpo





Corpo de pele e de musgo
De voz quente e perfumada
Tua púbis de rubi bravo
Tua boca enfeitiçada

Tuas mãos me acalentam
No teu ventre me abrigo
Teus seios me adoçam
Tua ausência é o meu castigo…

Gosto de ti, feiticeira,
Tão misteriosa e tão bela
Dos teus cabelos de seda
Aos teus pés de Cinderela

Tira-me o chão, tira-me o ar
Tira-me a luz e a alegria
Mas deixa-me o teu sorriso
Porque sem ele não viveria

2 comentários:

  1. Há sempre um retorno
    A um doce Porto de abrigo
    Quando o beijo se torna o dono
    E o mistério um desejado castigo

    ResponderEliminar
  2. Quando o beijo retorna,
    enevoa-me o olhar,
    deixo de sentir o chão
    e sinto-me a levitar!

    ResponderEliminar