terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

14 de fevereiro


Hoje é o Dia dos Namorados. Ou melhor, o dia reconhecido internacionalmente para as comemorações de quem tem o privilégio de ter uma relação amorosa com alguém.
Como me sinto assim, neste momento, gostaria de saber escrever melhor, mais docemente, mas talvez assim nunca te darias ao trabalho em escutar-me. Tens ouvido e lido o que falam e escrevem os outros e eles têm-te deixado distante e indiferente. Escrevem bem de mais, ou insuficientemente bem. Se soubesse escrever, talvez conseguisse dizer o quanto gosto… de qualquer maneira as palavras iriam sempre saber a pouco, por se encontrarem tão gastas pelo uso! Além disso, os termos de ocasião não nos estão destinados. Vestem sentimentos banais, corriqueiros, vulgares… O que sinto é absolutamente o oposto disso! Por isso, há que inventar a palavra certa, com o tamanho exacto, o sabor autêntico, a conotação perfeita e, principalmente, só nossa. E ela já existe:
Caipirel!
   Quando em meu ninho
Me aninho,
Com carinho,
A pensar em ti
Não sei se mereço o destino,
Isto que sinto em mim.
É um inchaço no peito,
Que tolda a minh' alma,
Já não sei se tem jeito…
Este princípio sem ter fim!
Que bem o meu ser terá feito?!
Para caipirel assim?!
As cores clarearam,
As flores cheiram a sorte,
As notas desertaram das pautas,
E as andorinhas perderam o norte!
Chegaste para junto de mim…
Caipirel!

1 comentário:

  1. Os sentimentos mais bonitos chegam sem serem esperados, aninham-se dentro de nós ...aquecem a alma.

    Bonito gostar...

    ResponderEliminar