quinta-feira, 29 de março de 2012

Amor



Peço-te perdão por te amar,
Por capear o teu sorriso

E beliscar o teu acordar…

O que sinto?...

É a balada do silêncio,

Dos momentos que senti à sombra dos teus carinhos,

Sorvendo da tua boca o sabor do teu riso,

Nas noites de Inverno

E nas manhãs que virão…

E posso dizer

Que o sentimento que oferto

Não traz o encantamento das promessas,

Nem as misteriosas palavras

Dos véus da alma...

É uma quietude voraz,

Um turbilhão de carícias,

Uma tempestade de bem-querer!

E só te pede que repouses serena,

Muito serena

E deixes que os lábios apaixonados da noite

Encontrem, sem fatalidade,

O olhar enamorado da madrugada

E, quando abrires os olhos,

Sintas como és amada!...


1 comentário:

  1. Quando a madrugada acordou
    Pelo sol se sentiu beijada
    E tão leve a acariciou
    Que a fez sentir amada

    ResponderEliminar