quinta-feira, 22 de março de 2012

O Dia


O amor surgiu e preencheu o desejo
Os sentimentos regressaram dos outonos perdidos
E invadiram sem medo os momentos vividos 

 Foi um dia melífluo das muitas memórias
Houve ternas palavras soletradas com histórias
Houve a noite tecendo o veludo da alma

Nem o turbilhão de beijos reduziu a vontade
Que agitou as águas nesse dia suave
Só as árvores sonharam o não ser dos minutos

Pedi às gaivotas canções de esperança
Inventei um festim como fosse criança

Sem ruídos antigos dos futuros perdidos

Um soneto guardou-se nas paredes do sonho
Foi de novo a viagem do ardina risonho
Esculpiu palavras o silêncio do beijo…

1 comentário:

  1. E quando o silêncio fala...diz as coisas mais belas.

    beijo

    ResponderEliminar