sábado, 17 de março de 2012

Ardina




Por que sou ardina errante
De farpelas  sem jeito
Podes esconder tuas lágrimas
Guardalas-ei no meu peito                                 

Atravessarei fogos e temporais
Farei tudo o que for preciso                                   
Ocultarei teus tristes prantos
Sempre que te caia o sorriso   

E quando a vida se desviar

Dos teus pés a céu aberto
Construirei mil caminhos
Para que encontres o trilho certo

Por que sou ardina errante
De farpelas sem jeito
Embelezarei teu destino
Para que tudo fique perfeito

Sem comentários:

Enviar um comentário