quinta-feira, 19 de abril de 2012

Desejo


Os beijos mais doces ornamentaram

As palavras não ditas nos olhares

Os desejos mais tórridos e provocantes

 

Nos ventos mais quentes

No hálito perfumado da Primavera

Os beijos mais doces floriram

 

Só no manto da noite desenharam

Uma Íntima libidinosa dança de ventres

 

Roçando a pele nua que não desiste
E deixa amanhecê-la prostrada e livre

 

Embriagado pelo silêncio das palavras

Deixa o prazer derramar paulatinamente

Sem comentários:

Enviar um comentário